O fim da novela acabou; Chiquinho Escórcio é deputado federal

Por Luís Pablo Política / Vídeo
 

Depois da dura batalha no Supremo Tribunal Federal (STF), Chiquinho Escórcio agora ex-secretário de Representação Institucional do Maranhão em Brasília, assumiu ontem a vaga do deputado federal Pedro Fernandes na Câmara.

No vídeo abaixo, mostra o senador João Alberto que compareceu na posse, cumprimentando Chiquinho junto com colegas da bancada maranhense.

Bastou Jackson Lago morrer, para o PDT começar a cometer erros

Por Luís Pablo Política
 

Em menos de uma semana da morte do ex-governador Jackson Lago, o PDT comete o primeiro erro, fazendo uma aliança com o PSDB.

O que já era de se esperar, o PDT começou aceitar as ordens do suplente de deputado federal Weverton Rocha, que já se articulou em uma reunião nesta manhã (6), para ocupar a vaga do deputado federal Pinto da Itamaraty.

Werverton junto com o apoio do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi (PDT), convenceu a cúpula pedetista do Maranhão e acertou com o prefeito de São Luis, João Castelo, a saída do deputado Pinto, da Câmara do Deputados para assumir a vaga do parlamentar.

Nos próximos dias Pinto deverá assumir uma Secretaria na Prefeitura, fazendo Castelo reafirma a aliança PSDB/PDT no ano que vem para as eleições.

Uma dor incalculável…

Por Luís Pablo Política
 

Dona Clay Lago em um gesto de tristeza profunda pela morte do marido, Jackson Lago

Como devemos encarar a partida de uma pessoa amada?

O que pode nos confortar?

Só quem já perdeu alguém pode saber o tamanho da dor.

Imagino como deve ser o sofrimento que está passando a família Lago.

Porque já passei por isso, duas vezes.

E jamais me conformei.

Hoje está fazendo 11 meses que perdi duas pessoas amáveis.

E sinto uma profunda saudade delas.

Minhas avós…

“Jackson nunca acreditou que pudesse ser cassado”, revela Lourenço Vieira

Por Luís Pablo Política
 

Lourenço Vieira da Silva

O ex-secretário de Educação, no governo Jackson, Lourenço Vieira da Silva disse que “o ex-governador Jackson Lago nunca imaginou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pudesse levar adiante a denúncia de abuso de poder econômico e político na eleição de 2006, em que derrotou a atual governadora, Roseana Sarney, que foi beneficiada com a cassação do diploma do eleito. Ele foi apoiado pelo então governador José Reinaldo Tavares, que havia rompido com o Grupo Sarney”, revelou Lourenço.

Em conversa no velório, o ex-secretário falou que por diversas alertou o ex-governador para essa questão, mas ele parecia não dar muito crédito aos que levantaram as denúncias.

“Chega um momento em que nos tornamos inconvenientes quando insistimos num assunto”, frisou Lourenço, ao justificar porque não insistiu na necessidade de uma reação.

Para ele, se tivessem sido tomadas as medidas jurídicas preventivas, a cassação não teria se efetivado. “Jackson até tinha razão em achar que aquilo era um absurdo, pois há uma série de irregularidades no julgamento, mas aconteceu”, completou.

Lourenço Vieira da Silva, que hoje reside em Brasília, veio especialmente ao Maranhão para dar o último adeus ao ex-governador. Ele revelou que, apesar do desgaste sofrido com a cassação e com a eleição de 2010, em que ficou no terceiro lugar, Jackson nos últimos dias não reclamava. Parecia conformado com tudo o que lhe aconteceu.

Segundo o ex-secretário, o que é importante neste momento é o exemplo deixado pelo ex-governador. “A história dele está narrada pelos seus exemplos, nada podemos acrescentar ou retirar, apesar de todos os defeitos que pudesse ter, era um homem de bom coração, desprovido de maldade e que nunca se beneficiou do bem público”, finalizou Lourenço Vieira da Silva.

Jackson Lago é levado para ser sepultado no Cemitério do Vinhais

Por Luís Pablo Política
 

Depois de quase 24 horas de velório na sede do Partido Democrático Trabalhista (PDT), na Rua dos Afogados (Centro), em São Luís, o corpo do ex-governador Jackson Lago foi levado nesta manhã para o Cemitério da Saudade, no Vinhais, para sepultamento.

O corpo depois que saiu da sede do partido foi levado à Praça Maria Aragão, por ele construída quando prefeito, onde o público pode lhe prestar a última homenagem.

Na visitação pública, muitos simpatizantes, amigos, correligionários e pessoas anônimas se emocionaram ao passar pelo caixão em que estava sendo velado. A missa de corpo presente foi celebrada pelo arcebispo metropolitano de São Luís, Dom Belisário.

Pedófilo é preso em Pinheiro

Por Luís Pablo Polícia
 

Mais um caso de pedofilia no município de Pinheiro, desta vez o acusado é Kleber de Jesus Martins, que abusava de uma criança de 7 anos.

O acusado foi preso em flagrante e confessou que usou os dedos para abusar da menor de idade. O delegado do município está investigando se o pedófilo também está envolvido em outros casos.

“Sarney colaborou para morte de Lago”, diz presidente estadual do PDT

Por Luís Pablo Política
 

Alexandre Brust, Presidente Estadual do PDT da Bahia

Em entrevista concedida ao Bahia Notícias, o presidente estadual do PDT da Bahia, Alexandre Brust, reagiu com estranheza à declaração do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que lamentou a morte do adversário político Jackson Lago (PDT), ex-governador do Maranhão.

Ele foi cassado em 2009, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) condená-lo por abuso de poder e compra de voto, processo que favoreceu a filha do parlamentar, Roseana Sarney (PMDB), atual mandatária maranhense.

“A família trabalhista está enlutada com a morte de Jackson Lago. Os companheiros do PDT estão bastante consternados com a morte prematura do seu fundador, que, inclusive, assinou a Carta de Lisboa, em junho de 1979. Ele foi um dos 120 subscritores, quando Brizola ainda estava exilado. Agora eu leio uma declaração de Sarney lamentando, mas, no fundo, o clã oligárquico de Sarney, com a cassação do mandato, foi um dos que contribuíram para a morte do Jackson Lago. Uma injustiça imensurável”, repudiou Alexandre Brust.

(Com informações da Bahia Notícias)

Sem Dutra no comando, PT teme avanço de aliados

Por Luís Pablo Política
 

José Eduardo Dutra

Setores do PT e do governo temem que José Eduardo Dutra não volte à presidência do PT. O dirigente, porém, disse a interlocutores que prorrogará sua licença médica por apenas mais 15 dias.

Internamente, o assunto é tratado com cautela. A própria presidente Dilma Rousseff pediu a ministros que “cuidassem” do petista e que prestassem o auxílio necessário para que ele retome suas funções.

Fora do cargo desde 22 de março, Dutra se afastou do posto após sofrer uma crise de hipertensão. O fim da licença estava programado para amanhã, mas ele deve pedir mais um tempo.

O PT está apreensivo com a ausência de comando no momento em que mais precisa de um negociador: a montagem do segundo escalão. A legenda teme o avanço de siglas aliadas e cogita nomear um articulador de cargos junto ao Planalto.

Para alguns petistas da cúpula do partido, falar em eventuais sucessores é assunto proibido; para outros, porém, é necessário. A orientação é para que se contenha o apetite de interessados em disputar espaço interno.

Na lista de eventuais nomes estão Marco Aurélio Garcia, assessor especial de Dilma, e o senador Humberto Costa (PE), líder da bancada na Casa, que reagiu contrariado à essa especulação.

“É verdadeiramente absurda a colocação do meu nome. Dutra é um grande amigo. Não vou me prestar a esse papel”, afirmou.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou a interlocutores preocupação com o estado de saúde de Dutra e o temor de que o partido fique acéfalo. Há ainda o receio de que não se restabeleça até o fim do mês, quando o partido deverá votar o pedido de refiliação do ex-tesoureiro Delúbio Soares, pivô do escândalo do mensalão.

Sem Dutra, o partido corre o risco de enfrentar uma disputa interna no Diretório Nacional. Vice-presidente do PT, o deputado estadual Rui Falcão (SP) assumiu interinamente a função, mas já avisou que só ficará até abril por ter seu mandato no Diretório Nacional compartilhado com outro integrante da sua corrente.

Pelo estatuto, a licença do presidente é de, no máximo, 180 dias. Em caso de renúncia, o diretório tem até 60 dias para eleger novo presidente.

(Com informações da Folha Online)

Atenção Arnaldo Melo…

Por Luís Pablo Política
 

O prefeito de Buriticupu, Antônio Marcos de Oliveira, o Primo (PDT), na segunda-feira por volta das 15h00, estava entrando na Assembleia Legislativa com a S10 branca, que é disponibilizada somente para os deputados que compõem a mesa diretora da Casa, conforme regimento.

O prefeito é esposo da deputada estadual Francisca Primo (PT), que faz parte da mesa diretora como 4° vice-presidente, que de acordo com as normas, cada caminhonete só pode ser de uso dos parlamentares e não de familiares.

Abre os olhos Arnaldo!

Clima tenso entre Gastão Vieira e o presidente da Infraero

Por Luís Pablo Política
 

Ontem em Brasília, 12 deputados federais maranhenses: Cléber Verde, Edvaldo Holanda Júnior, Alberto Filho, Gastão Vieira, Lourival Mendes, Luciano Moreira, Chiquinho Escócio, Carlos Brandão, Sétimo Waquim, Domingos Dutra, Ribamar Alves e Hélio Santos, com a presença do senador João Alberto, o secretário de Estado do Turismo, Tadeu Palácio e o presidente do Convention & Visitors Bureau, Nan Sousa participaram de uma reunião com o Presidente da Infraero, Gustavo do Vale, cobrando soluções para o aeroporto de São Luis, Marechal Cunha Machado.

A reunião foi tensa e o clima esquentou quando o deputado federal Gastão Vieira disse que “não aceitava desculpas como se o acontecido fosse algo simples e sem importância”.

O prazo de 150 dias, a construção de aeroportos em Barreirinhas e Bacabal e a privatização do aeroporto de São Luis também foram pauta da reunião, que culminou com o anúncio da visita de Gustavo do Vale ao Maranhão.