BOMBA! PF diz que Felipe dos Pneus comprou casa com dinheiro de ‘propina’

Por Luís Pablo Política
 
Casa do prefeito Felipe dos Pneus comprada com dinheiro de propina

Casa do prefeito Felipe dos Pneus comprada com dinheiro de propina

A residência do prefeito afastado Felipe dos Pneus localizada município de Santa Inês-MA é fruto de dinheiro de “propina”. É o que a Polícia Federal diz no inquérito da Operação Free Rider.

De acordo com os federais, “parte das propinas recebidas pelo Prefeito LUIS FELIPE teria sido aplicada para a compra de uma casa em Santa Inês/MA, a qual passou por uma reforma de custo milionário”.

Prefeito afastado por corrupção Felipe dos Pneus

Prefeito afastado por corrupção Felipe dos Pneus

No bojo da investigação, a PF interceptou uma conversa entre Felipe do Pneus e Antonio José de Magalhães Neto (diretor do setor de compras) falando sobre a negociação da compra da casa no valor de R$ 1,8 milhão.

Na conversa, Felipe fala sobre uma pessoa chamada de “Samuca”. A PF verificou que trata-se Samuel Martins Costa Filho. Segundo os federais, Sarmeul é “responsável por intermediar contratações fraudulentas entre empresas e a prefeitura Municipal de Santa Inês – MA com o consequente pagamento de propina”.

Ainda de acordo com as apurações dos federais, a responsável pela venda da casa teria sido Andreia de Sousa Sales, gestora da empresa Silva Sales Home Center, filial da empresa Irmãos Silva Sales. Andreia é secretária de Indústria, Comércio e Turismo na gestão de Felipe dos Pneus.

A PF constatou, em consulta ao Sistema de Acompanhamento de Contratações Públicas do TCE, que há um contrato formalizado entre a Prefeitura de Santa Inês e a empresa vinculada a Andreia de Sousa. O contrato, assinado em 26/07/2021, tem como objeto é aquisição de materias de construção, materiais elétricos e hidráulicos no valor de R$ 761.492,80.

Também foi constatado que o contrato formalizado com Andreia serviu para custear parte do valor da venda e reforma da casa de Felipe dos Pneus. “Em 02/08/2021, FELIPE manda os dados bancários da empresa IRMÃOS SILVA SALES. Em seguida, ANTONIO NETO manda um comprovante de transferência da empresa WR COMERCIO E CONSTRUÇÃO para aquela (empresa IRMÃOS SILVA), no valor de R$ 50 mil. A empresa WR COMERCIO possui contrato com a Prefeitura de Santa Inês. Observa-se que a transferência é no mesmo dia em que a Prefeitura efetua o pagamento de R$ 81.551,10 para empresa WR COMERCIO”.

Os federais identificaram no comprovante da transferência enviado por Antonio Neto para Felipe dos Pneus, uma anotação na parte de baixo do documento com a escrita “REFORMA”. A transferência trata-se do pagamento de material adquirido para reforma da casa.

População faz protesto na porta de Pet Shop após morte de corretor

Por Luís Pablo Polícia
 
Protesto na porta da Petland, em São Luís-MA

Protesto na porta da Petland, em São Luís-MA

O assassinato ontem, dia 9, do corretor de imóveis Dino Márcio Pinho Rosa Formiga, de 47 anos, gerou uma indignação na população, que fez protesto na noite de hoje, dia 10, no local do crime.

Um grupo de pessoas – entre familiares e amigos – foi no Petland, na unidade do bairro da Cohama, clamar por Justiça. Eles chegaram a acender vela no local. A polícia esteve no local acompanhando o protesto.

Dino Márcio foi morto a tiros no estacionamento da loja, após discutir com um vigilante do pet shop.

Segundo as investigações da polícia, a vítima foi na loja trocar uma ração. Houve uma discussão e o vigilante sacou a arma e atirou no corretor, que ainda foi levado para o hospital, mas não resistiu e morreu.

Investigação da PF em Santa Inês respinga na Prefeitura de Imperatriz

Por Luís Pablo Política
 
Prefeito Assis Ramos, de Imperatriz-MA

Prefeito Assis Ramos, de Imperatriz-MA

A investigação da Operação Free Rider, deflagrada pela Polícia Federal contra a Prefeitura de Santa Inês-MA por desvio de recursos na área da saúde, respingou na gestão do prefeito Assis Ramos, de Imperatriz-MA.

Durante vigilância dos federais em agência bancária visando identificar o modus operandi da referida associação criminosa, a partir do saque dos valores em espécie até a sua entrega ao destinatário, foi vista uma pessoa “do sexo masculino, de cor branca, aparentando de 35 a 40 anos, trajando paletó e portando uma mochila, pessoa esta que entrou no veículo Renegade, onde foi percebido que também havia outro paletó no interior daquele automóvel, o que sugere tratar-se de um advogado, pois é prática comum entre os integrantes dessa categoria profissional”.

Ao tentar identificar a pessoa, que estava num veículo da qual a placa indicava se tratar de um carro alugado, a PF oficiou-se a empresa Unidas as informações, a qual retornou comunicando que o locatário daquele dia seria Flávio Henrique Cardoso Matos.

Em pesquisa nos bancos de dados disponíveis, os federais constataram que Flávio Henrique é advogado do município. Ele ocupa o cargo de chefe de Representação Institucional da Prefeitura de Imperatriz em Brasília.

O Município de Imperatrzi possui contrato ativo com a empresa Droga Rocha, de propriedade de Antônio Francisco Rocha de Abreu, que foi visto pela PF fazendo inúmeros saques em espécie. Além dele, também realizava os saques o seu funcionário Nilton Sérgio dos Santos.

“Desse modo, resta cristalino que os investigados ANTONIO ROCHA e NILTON SERGIO têm contribuído para o desvirtuamento dos recursos públicos que deveriam ser destinados, sobretudo, à saúde de diversos munícipes maranhenses, mediante a contratação fraudulenta da empresa DROGA ROCHA, tendo o Sr. NILTON o papel fundamental de saque e entrega dos valores em espécie aos demais partícipes/coautores do esquema criminoso”, diz parte do inquérito da Polícia Federal.

Em Bom Jardim, promotor faz ‘vista grossa’ sobre denúncia de desvio de dinheiro público da educação

Por Luís Pablo Política
 
Promotor Fábio Santos de Oliveira, da Comarca de Bom Jardim-MA

Promotor Fábio Santos de Oliveira, da Comarca de Bom Jardim-MA

Uma Notícia de Fato instaurada a partir de representação contra a Prefeitura de Bom Jardim-MA chamou à atenção sobre a suposta falta de atuação do promotor Fábio Santos de Oliveira.

A denúncia é sobre os repasses que o Município recebeu do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), entre o mês de janeiro a setembro de 2021, no montante de R$ 841 mil.

Foi solicitado informações do Poder Púlico sobre a aplicação das verbas oriundas do PNAE 2021, como a apresentação de cópia das notas fiscais e demais comprovantes de despesas com kits/certas básicas.

O Município foi notificado para apresentar no prazo de 15 dias a cópia da documentação que comprove a aquisição dos alimentos descritos nas planilhas apresentadas, mas prorrogou o prazo diversas vezes para entregar a documentação e quando apresentou não foi com os dados completos que foram requisatos pela denúncia.

O que causou espanto foi que o promotor Fábio Santos pediu arquivamento dos autos, mesmo com a prefeita Cristiane Varão (PL) não tendo fornecido os dados corretos.

“Da análise dos argumentos do representante e do representado, assim como dos documentos apresentados, percebe-se não há justa causa para continuidade da tramitação deste procedimento, vez que não restou comprovado ato de improbidade. Dessa forma, determino o arquivamento dos autos, podendo ser desarquivado, caso surjam novas provas dos fatos aduzidos”, diz o promotor, que precisa rever sua decisão para que não passe a impressão de que fez ‘vista grossa’ diante de uma grave denúncia.

Clique e veja a representacão contra a prefeita de Bom Jardim

Clique e veja a ovimentação dos autos

Deputada Thaiza Hortegal recebe alta e deixa hospital em São Paulo

Por Luís Pablo Política
 

A assessoria da deputada estadual Dra. Thaiza Hortegal divulgou nota sobre seu estado de saúde, informando que a parlamentar recebeu alta do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

ABAIXO A ÍNTEGRA DA NOTA:

A deputada estadual Dra. Thaiza Hortegal, através da sua assessoria de comunicação, informa o seguinte sobre o seu estado de saúde:

A parlamentar está de alta do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde deu entrada na última quarta-feira para continuação do seu tratamento de INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA.

Nos últimos dias, Thaiza Hortegal realizou todos os exames e fez a retirada do cateter de hemodiálise, porém necessita passar, no mínimo, 15 dias em tratamento ambulatorial da unidade, com o nefrologista.

Ela segue em tratamento acompanhada do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, em São Paulo, e dos filhos João Luciano e Esther. Todos expressam gratidão pelas mensagens de apoio e orações em prol da sua recuperação, que, apesar dos avanços, requer cuidados e observação.

Assessoria de Comunicação
Dra. Thaiza Hortegal
Deputada Estadual

Corretor de imóveis é assassinado na porta de Pet Shop

Por Luís Pablo Crime
 
Corretor Dino Márcio

Corretor Dino Márcio

O assassinato foi registrado na noite de hoje, dia 9, na porta de um Pet Shop, em São Luís-MA. A vítima foi o corretor de imóveis identificado como Dino Márcio Pinho Formiga.

Segundo informações, a vítima estava discutindo na porta do Petland, na unidade do bairro da Cohama, com um homem – ainda não identificado, que sacou um revólver e efetuou um disparo contra o corretor.

Dino Márcio chegou a ser levado para a UPA do Vinhais, mas não registou ao tiro à queima-roupa e veio a óbito.

EXCLUSIVO! Veja parte do inquérito que fala sobre a propina da empresa Droga Rocha em favor de Felipe dos Pneus

Por Luís Pablo Política
 
Empresário Francisco Rocha e o prefeito afastado Felipe dos Pneus (Santa Inês-MA)

Empresário Francisco Rocha e o prefeito afastado Felipe dos Pneus (Santa Inês-MA)

O site do Luís Pablo teve acesso ao inquérito da Operação Free Rider, deflagrada pela Polícia Federal contra a Prefeitura de Santa Inês-MA por desvio de recursos na área da saúde.

O documento mostra como funcionava o esquema criminoso comandado por Felipe dos Pneus, que foi afastado do cargo de prefeito por decisão do desembargador federal Ney Bello, que autorizou a operação.

Na investigação, os federais identificaram que o proprietário da empresa Droga Rocha, Antônio Francisco Rocha de Abreu, foi coautor do crime de fraude licitatória relacionado ao contrato investigado.

A PF indentificou um diálogo comprometedor entre Francisco Rocha e Antonio Neto (diretor do setor de compras do Município de Santa Inês) sobre a Ata de Registro de Preços nº 015/2020, da Prefeitura de Presidente Dutra/MA, que, posteriormente, sofreria a adesão da Prefeitura de Santa Inês.

Nesse diálogo ficou evidenciado que o empresário Francisco Rocha participava ativamente das negociações ilícitas perpetradas pelo núcleo criminoso da prefeitura.

Além disso, a quebra do sigilo bancário revelou que a empresa Droga Rocha fez transações bancárias para a empresa A B de Carvalho, que pertence a Antonio Barbosa de Carvalho (pai do prefeito afastado Felipe dos Pneus).

Foi possível identificar que o investigado Francisco Rocha é responsável por “quitar” a dívida de Felipe dos Pneus com seu pai, que foi seu financiador de campanha. Foram feitas diversas transferências, entre elas uma no valor de R$ 100 mil.

No bojo da investigação também foi identicado que houve inúmeros saques em espécie realizados por Francisco Rocha e Nilton Sérgio dos Santos (funcionário da Droga Rocha), todos os meses, de fevereiro a setembro de 2021 (período em que o contrato da Droga Rocha encontrava-se vigente com a Prefeitura de Santa Inês).

O total sacado, em espécie, no período citado supera o valor de R$ 5 milhões.

CLICA E VEJA PARTE DO INQUÉRITO QUE FALA SOBRE FRANCISCO ROCHA

Polícia Federal quer colocar o “propineiro” Felipe dos Pneus na cadeia

Por Luís Pablo Política
 
Prefeito Felipe dos Pneus

Prefeito Felipe dos Pneus

A Polícia Federal quer colocar atrás das grades Felipe dos Pneus, prefeito de Santa Inês-MA que foi afastado do cargo por corrupção durante a Operação Free Rider, deflagrada no dia 27 de abril.

Os federais já pediram a prisão de Felipe por rombo milionário na saúde do município. O pedido foi feito no dia 28 de janeiro pela delegada federal Rebeca Diniz Alves Fonseca.

Felipe dos Pneus é apontado como líder da organização criminosa montada no âmbito da Prefeitura de Santa Inês especializada em fraude, superfaturamento, lavagem de dinheiro, cobrança de propina, entre outros crimes, por meio de empresa de fachada, envolvendo a distribuidora piauiense Droga Rocha.

“No decorrer da análise da referida quebra de sigilo telemático identificou-se que há inúmeros contratos fraudulentos firmados pelo Município de Santa Inês, com o conhecimento do atual Prefeito (Felipe dos Pneus), todos com indícios de envolvimento de “propina”, demonstrando que a atual gestão encontra-se dilapidando o erário municipal em detrimento do interesse público”, diz trecho do inquérito da PF.

EM PRIMEIRA MÃO! Josimar desiste da pré-candidatura ao governo, fecha com Weverton e faz acordo com Luciano

Por Luís Pablo Política
 
Senador Weverton Rocha e o deputado federal Josimar de Maranhãozinho

Senador Weverton Rocha e o deputado federal Josimar de Maranhãozinho

O martelo foi batido. O deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) não é mais pré-candidato ao Governo do Maranhão.

Na quinta-feira, o deputado se reuniu com o senador Weverton Rocha (PDT) e firmou o seu apoio a pré-candidatura do pedetista ao governo.

Josimar não só fechou com Weverton como também costurou um acordo com o prefeito de Pinheiro-MA, Luciano Genésio (PP).

Ficou acerto que Luciano irá retirar a pré-candidatura da sua irmã Luciana Genésio para deputada federal e apoiar Maranhãozinho. O prefeito garantiu o apoio em pelo menos seis cidades.

Com o apoio de Luciano Genésio, o deputado Josimar ganha mais força para se reeleger e ainda eleger sua esposa,, deputada estadual Detinha, para à Câmara de Deputados.

O acordo entre Luciano e Josimar ainda garantiu a vaga de vice de Weverton para Luciana. A irmã do prefeito irá compor a chapa do pedetista.

BOMBA! Folha de S.Paulo revela bandidagem de Eduardo DP

Por Luís Pablo Política
 

Folha de S.Paulo

Folha de S.Paulo revela bandidagem de Eduardo DP

Folha de S.Paulo revela bandidagem de Eduardo DP

A vice-líder em licitações da estatal federal Codevasf tem utilizado laranjas para participar de concorrências públicas na gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição e que repete o já enfraquecido discurso de que não há casos de corrupção em sua gestão.

Trata-se da construtora maranhense Construservice, com sede em Codó (a 300 km de São Luís). Desde 2019, o governo já reservou a ela R$ 140 milhões, tendo desembolsado R$ 10 milhões disso até agora.

Todos os contratos da empreiteira com a administração federal foram firmados após 2019, ou seja, no governo Bolsonaro. A empresa também só recebeu recursos federais na atual gestão, segundo dados do Portal da Transparência.

As duas pessoas registradas oficialmente como donas da empresa são as mesmas que, em 2015, foram ouvidas em uma investigação policial e admitiram que foram chamadas para constar formalmente como sócias na construtora mas que não mantinham nenhuma ligação pessoal ou empresarial entre elas.

Os convites, dizem os sócios laranja, partiram de Eduardo José Barros Costa. Ele é sócio oculto da Construservice e também conhecido como Eduardo Imperador ou Eduardo DP.

Segundo apurações da Polícia Civil e do Ministério Público do Maranhão, Costa é suspeito de comandar uma quadrilha responsável por crimes em mais de 40 municípios do estado, pelo menos de 2009 a 2012, entre eles desvios de recursos federais do Ministério da Educação.

Costa é réu em ações nas Justiças Estadual e Federal que tratam dos supostos desvios e atos de corrupção e chegou a ser preso nas ações policiais relacionadas a esses casos —mas segue em liberdade.

Ele não aparece nos registros da Construservice. Mas em pelo menos uma ação trabalhista a Justiça do Maranhão o reconhece como sócio de fato da construtora.

Referência

Eduardo Costa é referência para políticos locais na hora de questionar obras da Construservice.

Em 12 de abril, o deputado estadual Vinicius Louro (PL) disse, na tribuna da Assembleia Legislativa maranhense, que telefonou ao “proprietário da empresa, da Construservice, Eduardo DP” para cobrá-lo sobre o andamento de obras em estradas.

O deputado disse à Folha que não conhece o quadro societário da construtora mas “todo mundo no Maranhão sabe que ele [Costa] responde por ela [a empresa]”, e declarou “falar direto” com Costa sobre obras da empreiteira.

Em inquérito que começou como desmembramento das investigações do assassinato do jornalista Décio Sá em São Luís (MA), em 2012, a polícia do Maranhão deflagrou em 2015 a Operação Imperador, cujo título é uma alusão ao apelido de Costa.

Costa não se tornou réu pelo assassinato, mas segundo as autoridades as apurações do caso revelaram que ele arregimentou um laranjal para constar nos quadros de sócios de construtoras usadas no esquema.