Exclusivo 2: diretores do IDAC em Pedrinhas

Por Luís Pablo Polícia
 

Mais imagens dos alvos da Operação Rêmora, da Polícia Federal, que foi deflagrada na semana passada e prendeu cinco pessoas envolvidas no desvio milionário de recursos da saúde pública do Maranhão.

As imagens são dos diretores do Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC), Bruno Balby Monteiro e Mauro Serra dos Santos.

Os dois foram presos juntos com o presidente do IDAC, Antonio Aragão. Bruno Balby está na Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPRSL 6). Já Mauro Serra no Centro de Triagem.

Bruno Balby:

Mauro Serra:

Em Senador Alexandre Costa, prefeito vai gastar R$ 3,1 milhões com combustíveis

Por Luís Pablo Política
 

Prefeito Dr. Orlando

Prefeito Dr. Orlando

Eleito em outubro de 2016, o prefeito de Senador Alexandre Costa, Orlando Mauro Sousa Arouche, o Dr. Orlando, já tratou de iniciar contratos milionários na Prefeitura.

Um deles foi com a empresa D.A. Cruz & Cia. O contrato custará aos cofres do município R$ 3.197.730,00.

De acordo com dados publicados no Diário Oficial dos Municípios, o contrato, que visa o fornecimento de combustíveis, lubrificantes e filtros aos veículos da cidade, é válido somente até dezembro de 2017.

Ou seja, serão mais de R$ 3 milhões para pouco mais de oito meses de serviços prestados.

O contrato foi assinado no dia 08 de abril pelo próprio prefeito Orlando e o representante da empresa, Diego Alves Cruz.

ABAIXO IMAGEM DO CONTRATO:

Exclusivo: Aragão do IDAC com uniforme de detento no Complexo de Pedrinhas

Por Luís Pablo Polícia
 

As imagens abaixo foram obtidas, com exclusividade, pela equipe de reportagem do Blog do Luís Pablo.

Trata-se do presidente estadual PSDC e dono do Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC), Antonio Augusto Silva Aragão.

Aragão, como é mais conhecido, foi preso na semana passada, dia 2. Ele é acusado de desviar milhões da saúde pública do Maranhão, através de contratos com o governo do Estado.

O dono do IDAC está no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Ele foi transferido do Centro de Triagem para Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 4 (UPRSL 4).

Polícia Federal prende Henrique Eduardo Alves, ex-ministro de Temer

Por Luís Pablo Polícia
 
Henrique Eduardo Alves, ex-ministro do Turismo de Michel Temer

Henrique Eduardo Alves, ex-ministro do Turismo de Michel Temer

(Com informações do G1)

O ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves foi preso na manhã desta terça-feira (6) em um desdobramento da Operação Lava Jato.

O ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba, é alvo de um novo mandado de prisão preventiva. Ambos são do PMDB e foram presidentes da Câmara dos Deputados.

Batizada de Manus, a operação investiga corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal. Segundo PF, o sobrepreço chega a R$ 77 milhões.

São cumpridos 33 mandados, sendo cinco mandados de prisão preventiva (sem prazo), seis de condução coercitiva, quando alguém é levado a depor, e 22 de busca e apreensão nos no Rio Grande do Norte e no Paraná.

A investigação se baseia em provas da Lava Jato, que apontam o pagamento de propina a Cunha e Alves em troca de favorecimento a duas grandes construtoras envolvidas na construção do estádio.

Segundo a PF, foram identificados pagamentos de propina por meio de doações oficiais entre 2012 e 2014. Além disso, um dos investigados usou valores supostamente doados para a campanha de 2014 em benefício pessoal.

Os investigados responderão pelos crimes de corrupção ativa e passiva, além de lavagem de dinheiro.

O nome da operação é referência ao provérbio latino “Manus Manum Fricat, Et Manus Manus Lavat”, que significa uma mão lava a outra.

PSDC diz que há “suspeitas que tudo possa ter sido uma armação” da PF “para tentar manchar a imagem do partido”

 

 Alan Kardeck, Secretário Estadual do PSDC no Maranhão

Alan Kardeck, Secretário Estadual do PSDC no Maranhão

O Secretário Estadual do PSDC no Maranhão, Alan Kardeck, emitiu uma nota sobre a Operação Rêmora, da Polícia Federal, deflagrada na semana passada e que prendeu o presidente estadual da sigla, Antonio Aragão.

Em nota, o secretário disse que a PF “invadiu” a sede da sigla sem mandado judicial. Disse ainda que os R$ 71 mil apreendido em flagrante por agente federais, não foi dentro do partido.

“Em nenhum momento havia uma mochila na sede do PSDC, com a quantia apresentada pela PF constando o valor de R$ 71 mil […] Após apreensão da mochila, ela foi trazida pelos agentes da PF para a sala da presidência do PSDC, tendo os agentes colocado a mochila na mesa da sala do partido, depois fotografaram e filmaram tudo, dizendo que o fruto da apreensão havia sido feito dentro da sala da presidência do partido”, diz a nota.

Alan Kardeck afirmou acreditar na Justiça para provar que não tem nada relacionado ao partido com a apreensão do dinheiro e disparou: “Existem suspeitas que tudo possa ter sido uma armação para tentar manchar a imagem do partido”.

Abaixo a nota na íntegra do partido:

Nota de Esclarecimento da Executiva Estadual do PSDC do Maranhão

O secretário estadual do Partido Social Democrata Cristão (PSDC) no Maranhão e presidente do Diretório Municipal da sigla, em São Luís, Alan Kardeck, informa, por meio de nota à imprensa, que o partido não era e nem é alvo de investigação na Operação Rêmora, da Polícia Federal, deflagrada na sexta-feira passada, 2, na capital maranhense. Até porque o partido não ter nada a ver com a instituição investigada, que é o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC).

Embora o presidente do IDAC seja o mesmo presidente do Diretório Estadual do PSDC no Maranhão, trata-se de gerenciar duas personalidades jurídicas independentes. A Executiva do PSDC ressalta ainda que houve uma invasão arbitrária, na sede do partido, situado no bairro do São Francisco, por não haver nenhum mandado judicial que sustentasse a entrada na sede do partido por agentes federais.

Os próprios homens da Polícia Federal deixaram bem claro que a sede do partido não era alvo de investigação e que não havia nenhum mandado de busca e apreensão no local. O entendimento da Executiva é que a sala do partido foi invadida sem que fosse apresentado algum mandado que pudesse desencadear tamanha ação de intimidação a funcionários do PSDC, que chegaram a ser abordados e terem sido confiscados os salários dos funcionários que se encontravam no local, além de documentos e celulares, sendo tudo colocado em cima da mesa da sala do partido.

Em nenhum momento havia uma mochila na sede do PSDC, com a quantia apresentada pela PF constando o valor de R$ 71 mil, ao que a Executiva sabe e que foi publicado em vídeos por meio de blogs e na internet. Conforme o secretário Alan Kardeck, a apreensão do dinheiro foi feita no interior do veículo de marca Corolla, que seria de um suposto assessor do IDAC, que se encontrava na garagem do prédio.

Após apreensão da mochila com o montante acima citado, ela foi trazida pelos agentes da PF para a sala da presidência do PSDC, tendo os agentes colocado a mochila na mesa da sala do partido, depois fotografaram e filmaram tudo, dizendo que o fruto da apreensão havia sido feito dentro da sala da presidência do partido.

O contraditório revela que a apreensão do dinheiro foi feita dentro do carro, que estava estacionado na garagem do prédio e, portanto, não dentro da sala da presidência do PSDC como relatou a imprensa. Todo esse relato está comprovado nos próprios vídeos divulgados nos blogs e na mídia eletrônica, mostrando que a mochila e o dinheiro nada tem haver com as funções da sede da legenda.

A direção da Executiva do PSDC afirma acreditar na Justiça e que vai aguardar as investigações para provar que não tem nada relacionado com a apreensão do dinheiro. Existem suspeitas que tudo possa ter sido uma armação para tentar manchar a imagem do partido.

Atenciosamente, Alan Kardeck, Secretário Estadual do PSDC no Maranhão

Júnior Verde e alunos da Sementinha plantam árvores em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente

Por Luís Pablo Política
 
Deputado Júnior Verde com os alunos

Deputado Júnior Verde com os alunos

No dia 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. Para marcar a data, o deputado Júnior Verde (PRB) fez o plantio simbólico de mudas de árvores, nesta segunda-feira (5), junto com alunos da Creche-Escola Sementinha na área externa da instituição. Foram doadas também 100 mudas de árvores.

A ação contou com a participação do educador ambiental Luzio Rocha, que desenvolve o projeto Reflorestando o Mundo. O deputado Júnior Verde destacou que o plantio das mudas carrega a simbologia de chamar a atenção para a preservação do meio ambiente.

“É um momento especial, porque simboliza que nós temos que ter a consciência para com o meio ambiente. As crianças são o presente e o futuro, então elas têm que aprender a cuidar do meio ambiente. A Assembleia está fazendo, nesse momento, uma campanha de conscientização. Essa ampla divulgação nos permite ter um alcance para que chegue a todas as pessoas, pois elas precisam saber que todos nós somos responsáveis pelo meio ambiente”, completou.

Bruna Abreu, diretora da Sementinha, ressaltou que a ação leva os alunos a refletir sobre qual deverá ser seu papel na preservação do meio ambiente. “As crianças têm tudo a ver com a natureza. Esse é um momento para refletir quais ações são importantes para a preservação do nosso meio ambiente e para a própria preservação da vida humana. Se cada um de nós fizermos um pouquinho, com certeza vamos ter um mundo melhor e um ambiente mais saudável”, disse.

Já para as crianças, o momento foi de diversão e reconhecimento da importância de se cuidar do meio ambiente. “A maioria das coisas no meio ambiente faz bem para nossa vida. São coisas lindas da natureza e é a fonte de tudo”, afirmou Arthur Felipe Silva Freire.

Maria Clara Diniz disse que aprende muito mais em contato com as plantas. “As plantas fazem bem para a vida, pois elas que dão o nosso ar, nos dão as frutas. A gente aprende muito mais em contato com elas”, assinalou.

Governo cancela contrato com IDAC e anuncia providências após 4ª fase da operação Sermão aos Peixes

 

Secretaria de Saúde do Governo do Maranhão

Secretaria de Saúde do Governo do Maranhão

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) rescindiu o contrato com o Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC), alvo de investigação da Polícia Federal na fase Rêmora da Operação Sermão aos Peixes.

O ato foi uma das medidas tomadas pelo Governo do Estado diante da apuração de indícios de desvio de recursos destinados ao instituto para administração de seis unidades de saúde no interior do estado.

Além do cancelamento do contrato, a SES solicitou à Secretaria de Estado de Transparência e Controle (STC) uma auditoria em todos os contratos que o IDAC tinha com a secretaria.

A deliberação do Governo do Estado foi tomada com base na decisão da Justiça Federal e a SES solicitará acesso à íntegra do processo para verificar a necessidade de outras providências.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, explicou que o objetivo das medidas é contribuir com a operação, que conta com participação do Ministério Público Federal (MPF), do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) e da Receita Federal do Brasil (RFB).

“Mesmo não tendo sido notificada, é obrigação da Secretaria enquanto órgão público contribuir com as investigações. É desejo comum que tudo seja esclarecido e que isso sirva para aprimorar nosso sistema de controle. É bom que se tenha a polícia e o Ministério Público para dar maior agilidade e transparência às investigações. Reiteramos que, de acordo com a própria decisão da justiça federal, não há servidor da Secretaria de Estado da Saúde envolvido na operação, que diz respeito exclusivamente ao IDAC e à forma que ele geria os recursos que eram disponíveis a ele”, contou o secretário.

O contrato do IDAC com a Secretaria de Saúde do Estado é de 2013 e remonta ao governo anterior. Os contratos foram legalmente mantidos pela atual gestão.

“Isso não foi identificado antes. Em relação ao IDAC, não havia nada que desabonasse a sua conduta e, por isso, o contrato havia sido renovado com a empresa, mas diante dos fatos é impossível permanecer com o contrato”, acrescentou o secretário Carlos Lula.

Com os contratos rescindidos, as seis unidades que eram administradas pelo instituto passam a ser geridas pela SES através da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh). Diante da mudança, a secretaria tranquiliza a população e os funcionários quanto à regularidade no atendimento do Hospital Regional de Carutapera, Hospital Geral de Barreirinhas, Hospital Aquiles Lisboa, Hospital de Paulino Neves, AME Barra do Corda, AME Imperatriz e a Unidade de Pronto Atendimento de Chapadinha/MA.

“A sociedade não pode ficar mais prejudicada ainda com o que aconteceu. A população não ficará desassistida e nem haverá atraso de pagamento dos funcionários, que inclusive devem receber seus vencimentos ainda esta semana”, finalizou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

“Não havia nada que desabonasse sua conduta”, diz Carlos Lula sobre o IDAC

Por Luís Pablo Polícia / Política
 

Em entrevista ao Bom Dia Maranhão, da TV Difusora, nesta segunda-feira (05), o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, afirmou que não havia nada que desabonasse a conduta do Instituto de Desenvolvimento e Apoio à Cidadania (IDAC), que foi alvo da Polícia Federal, na semana passada, após desvio de milhares de reais da saúde do Maranhão.

De acordo com o secretário, a organização social sem fins lucrativos, atua desde 2013 no órgão e permaneceu na gestão atual devido a um lote do concurso de projetos que não obteve vencedores. “O que aconteceu é que ele acabou ficando com os lotes do concurso de projetos onde não houve vencedores e ele acabou tendo renovado o contrato por esse motivo, por essa razão”, explicou.

Na ocasião, Lula informou, ainda, que o governo irá rescindir o contrato com o Instituto. As seis unidades hospitalares que eram geridas pelo IDAC passarão a ser de administradas pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH).

“Mas a gente já pode afirmar para a população, inclusive vamos informar isso também à polícia, ao Ministério Público Federal, que fazem a investigação, o contrato será rescindido no dia hoje”, afirmou.

Será realizada uma auditoria, por meio da Secretaria de Transparência e Controle, acerca de todos os contratos que eram mantidos com o IDAC.

Confira a entrevista completa abaixo:

Ex-prefeito de São Raimundo do Doca Bezerra e ex-presidente da Câmara de São Roberto são condenados por improbidade

Por Luís Pablo Política
 

Irregularidades verificadas em prestações de contas, apresentadas pelo ex-prefeito de São Raimundo do Doca Bezerra, Davi Rodrigues da Silva, e pelo ex-presidente da Câmara de Vereadores de São Roberto, Clóves Saraiva Borralho, levaram à condenação dos ex-gestores por improbidade administrativa. Os dois municípios são termos judiciários da comarca de Esperantinópolis.

ex-prefeito de São Raimundo do Doca Bezerra, Davi Rodrigues da Silva,

As decisões, proferidas em 19 de abril, pela juíza Cristina Leal Meireles, atendem às solicitações da Promotoria de Justiça da comarca, feitas com base em acórdãos do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

As manifestações do Ministério Público foram formuladas, em fevereiro e março de 2015, pelos promotores de justiça Paulo Roberto da Costa Castilho e Xilon de Sousa Júnior, respectivamente.

IRREGULARIDADES

Na prestação de contas referentes ao exercício financeiro de 2015, apresentada por Clóves Borralho, foram constatadas irregularidades como a ausência de documentos do demonstrativo da despesa total do Poder Legislativo, plano de cargos e carreiras dos servidores e relação de bens móveis e imóveis, além da classificação incorreta de despesas.

As ilegalidades verificadas na prestação de contas relativas ao exercício financeiro de 2007, apresentadas por Davi Silva, incluem diferença no valor de R$ 14,2 mil entre a receita contabilizada e a apurada, a realização de despesas sem licitação e o uso de notas fiscais no valor de R$ 18,3 mil, com datas vencidas. Foram observados, ainda, a presença de processos licitatórios sem documentos de habilitação.

PENALIDADES

Os ex-gestores foram condenados à perda dos direitos políticos pelos prazos de quatro anos (Clóves Borralho) e três anos (Davi Silva) e ao pagamento de multa civil no valor de cinco vezes dos valores das respectivas remunerações recebidas à época dos fatos.

As penalidades impostas aos condenados incluem, ainda, a proibição, pelo prazo de três anos, de firmar contratos com o Poder Público ou receber benefícios fiscais ou incentivos creditícios, diretamente ou indiretamente, mesmo que seja por meio de pessoa jurídica da qual sejam sócios majoritários.

PM é preso por envolvimento em assalto a banco; metralhadoras são apreendidas

Por Luís Pablo Polícia
 

Por volta das 00h30min do dia 05 de junho de 2017, a guarnição de serviço do DPM/FT/Monção foram informados que haviam elementos em carros tipo camioneta em Bela Vista do Maranhão, segundo as informações eram assaltantes de banco, foi composto um efetivo de 03(três) VTR para verificar, ao chegar ao local foi identificado os veículos e os elementos.

Na ocasião foi identificado o policial militar SD PM Mailton Pereira Pacheco, Rg pm 17628, que portava uma pistola sem registro, além do que os outros dois elementos que encontravam se com o mesmo foram conduzidos ao D.P.

Haja vista, a informações desencontradas apresentadas pelos mesmos, hora afirmavam que estavam juntos, hora afirmavam que não se conheciam. No momento foi dado voz de prisão aos três, sendo que no DPM de bela vista o policial militar resistiu a ordem de revista sendo necessário utilizar a força para contê-lo.

Existe o informe que haviam mais elementos com os mesmo. Ronda estão sendo realizadas no intuito de localizar os elementos que faltam, foram apresentados na delegacia regional de Santa Inês sem lesões corporais aparentes, foram conduzidos algemados devido ao porte físico dos mesmos, além da resistência do policial militar em obedecer a ordem de revista e prisão Todo material foi encaminhado para D.P para as providências legais.

Clique e veja:

Com Marcos José de Sousa Material foi apreendido: pistola marca taurus pt 24/7 pro ds n• 63504, três carregadores de pistola 24/7, 43 munições cal. 40 hollypoint, rádio comunicador tipo ht marca intelbras, veículos VW/ fox rock in rio- prata-placa DJG-9865, veículo Toyota Hilux cd4x4-prata- placa OIS-1313, veículo Toyota Hilux cdsa a4td – Branca- placa ODT-8104. Além de, 4 fuzis AR/M4 5.56, 2 PT 9mm , 1 sub metralhadora UZI israelense,  1 PT. 380, 1 revólver cal. 38.