Deputado Jr Lourenço faz homenagem ao aniversário de Miranda do Norte

Por Luís Pablo Política
 

Em comemoração aos 33 anos do município de Miranda do Norte, o deputado federal Júnior Lourenço deixou uma mensagem à cidade, celebrando sua relação de trabalho e cuidado com a população local.

Ao lado de sua mãe, a prefeita de Miranda do Norte, Maria Sousa Bonfim, o deputado declarou seu amor pela terra. “Estar em Miranda me renova as energias. Trabalhar por Miranda é minha paixão. Ter o carinho do povo me faz feliz e cuidar da minha cidade está no coração”, disse na mensagem.

Júnior Lourenço já exerceu o cargo de prefeito em 2009 em Miranda e é uma das maiores lideranças políticas do município, sempre participando ativamente na eleição de aliados e levando benefícios à cidade como membro do poder legislativo.

 

Prefeito Amaury entrega caminhão compactador de lixo para Mirinzal

Por Luís Pablo Política
 

O prefeito do município de Mirinzal, Amaury Almeida, realizou, nesta sexta (12), a entrega de um caminhão compactador de lixo.

A ação faz parte da política de saneamento básico implantada na atual gestão municipal, juntamente com melhores condições de serviço e uniforme adequado aos funcionários do setor.

O espaço onde antes era um lixão na cidade, agora está sendo reestruturado em aterro sanitário, onde é feita a realocação dos resíduos, construção de valões, separação entre lixo hospitalar e lixo comum.

Sobre o novo caminhão, o prefeito Amaury destacou que “o veículo proporcionará mais agilidade e rapidez na coleta, mais segurança para os profissionais e uma otimização no tratamento dos resíduos”.

Entidades médicas emitem nota conjunta sobre agravamento da pandemia no MA

Por Luís Pablo Cidade
 

Em carta conjunta e aberta à população, três entidades médicas do Maranhão se posicionaram sobre o agravamento da pandemia de Covid-19 no Estado.

Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM), Associação Médica do Maranhão (AMB) e Sindicato dos Médicos do Maranhão (SINDED) trazem na missiva seis recomendações de conduta dirigidas aos maranhenses r ao poder público como forma de evitar o iminente colapso do sistema de saúde.

Ainda na nota, as três entidades declaram insatisfação com o poder público, tanto a nível municipal quanto estadual, por não terem sido parte das tratativas para definir medidas de enfrentamento à pandemia.

Confira a nota na íntegra:

NOTA CONJUNTA ENTIDADES MÉDICAS – COVID-19

Considerando a atual situação epidemiológica da pandemia no Estado do Maranhão, com aumento crescente e exponencial de casos e com grande quantidade de casos graves e óbitos;

Considerando a altíssima taxa de ocupação de leitos de enfermaria e UTI, de hospitais públicos e privados, nos colocando na iminência de um colapso na oferta desses serviços essenciais de saúde;

Considerando a circulação de novas variantes virais, mais agressivas e com maior potencial de transmissibilidade entre nós, como já atestado pela Secretaria de Estado da Saúde em recente Nota;

Considerando a necessária integração e articulação entre as instituições e o poder público, em todos os níveis, como principal estratégia de enfrentamento da pandemia, na hora presente;

As entidades Médicas aqui representadas pelo Conselho Regional de Medicina do Maranhão, pela Associação Médica do Maranhão e pelo Sindicato dos Médicos do Maranhão, vem a público, através desta Nota Conjunta, recomendar o que se segue:

1. Recomendar à toda a população, indistintamente, que utilize máscaras de proteção, mantenham distanciamento social e higienizem as mãos continuamente. Estes gestos simples salvam vidas! 2. Recomendar ao poder público, sobretudo as gestões municipais, que ofertem às suas populações, serviços ambulatoriais e leitos de estabilização para pacientes com síndromes gripais, antecipando a avaliação de risco desses pacientes;

3. Recomendar às Unidades Hospitalares que melhorem seus serviços de notificações do agravo e das síndromes respiratórias agudas graves, de modo que se mantenha a maior transparência possível no perfil de agravamento do número de casos e de óbitos;

4. Recomendar ao poder público, a adoção de medidas restritivas em caso de iminência de saturação de leitos de UTI na rede pública e privada, de modo a evitarmos o colapso da rede para a grande maioria da população do Maranhão, que se utiliza exclusivamente dos hospitais do SUS no Estado. Adoção destas medidas deve ser precedida de análise criteriosa de indicadores epidemiológicos, capacidade da rede de atendimento e impactos sociais e econômicos;

5. O enfretamento desta situação requer o envolvimento e participação das Entidades Médicas aqui representadas (até agora não convocadas para essa missão) junto aos órgãos municipal e estadual de saúde para implementar as mudanças necessárias para a reversão desse quadro tão adverso;

6. Reafirmar o compromisso da classe médica e, por extensão, de todos os profissionais de saúde, com a defesa da vida e da saúde da nossa população e com a dignidade do exercício profissional, que nos mantém na luta e na linha de frente dessa batalha. Venceremos!

Abdon José Murad Neto – presidente do CRM-MA

José Albuquerque de F. Neto – presidente da AMM

Adolfo Silva Paraíso – presidente do Sindmed-MA

Saiba quais as medidas restritivas para a Ilha de São Luís e para o interior

Por Luís Pablo Cidade / Política
 

Começaram a valer hoje (15) medidas restritivas mais rígidas de combate à pandemia de Covid-19 impostas pelo Governo do Estado e anunciadas na última sexta-feira (12).

O maior número de restrições é para a parte insular do Maranhão, mas alguns pontos devem ser observados também no interior do Estado.

Confira as diferenças:

Ilha de São Luís – até domingo (21)

* Proibido funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e similares
*Delivery de comida permitido até as 23h
*Lojas de conveniência podem abrir, mas não podem servir comida e bebida no local
*Todo o comércio pode funcionar entre 9h e 21h
*Creches e berçários podem funcionar das 6h às 21h
*Academias, estúdios de pilates e escolas esportivas podem funcionar das 6h às 21h
*Padarias, supermercados, quitandas e similares podem funcionar das 6h às 21h
* Ceasa e feiras com funcionamento das 0h às 16h
*Postos de combustível, farmácias, hospitais e veterinários podem funcionar 24h
*Templos religiosos devem ter ocupação máxima de 30%

Para todo o Maranhão – até domingo (21)

*Aulas presenciais suspensas em escolas e universidades públicas e privadas
* Creches e berçários podem funcionar
* Eventos, festas, apresentações culturais, cinema e teatro estão suspensos
* Serviço público estadual remoto, com exceção para serviços essenciais.

Desembargador nega pedido de lockdown no Maranhão

Por Luís Pablo Cidade
 

O pedido de lockdown no Maranhão feito pela Defensoria Pública foi negado pelo desembargador José de Ribamar Castro, da Tribunal de Justiça do Maranhão.

Para o magistrado, apesar do aumento de casos de Covid-19 no estado, não há omissão do Poder Executivo em adotar medidas de enfrentamento à situação.

Em seu parecer, Castro disse ainda que uma decisão da Justiça neste caso seria vista como interferência do Judiciário no Executivo e que não há evidência científica de que a medida teria efeito prático.

“Pondera-se, ainda, que toda a decisão sobre lockdown é polêmica e não representa unanimidade, sobretudo por refletir a adoção de condutas de isolamento extremamente rigorosas e, in casu, não há comprovação robusta, principalmente científica, no sentido de que o pleito tencionado pela Defensoria Pública irá surtir o efeito prático afirmado”, ressaltou.

O recurso foi apresentado pelos defensores públicos Clarice Viana Binda, titular do núcleo de Direitos Humanos; Cosmo Sobral da Silva, titular do núcleo de Defesa da Saúde, da Pessoa com Deficiência e da Pessoa Idosa; e Diego Carvalho Bugs, defensor do núcleo regional da Raposa. Eles agora levarão o pedido ao colegiado da 5ª Câmara Cível do TJ.

Em caso de nova rejeição, os defensores pedem que pelo menos se tome medidas mais rígidas, como a limitação de lotação nos ônibus de transporte coletivo, redução de 50% dos passageiros nos ferry boats e fiscalização efetiva do cumprimento das medidas de distanciamento social.

Deslizamento de terra causa suspensão do Trem de Passageiros no MA

Por Luís Pablo Cidade
 

A circulação dos Trens de Passageiros da Estrada de Ferro Carajás (EFC) foi temporariamente suspensa nesta segunda (15) e terça-feira (16).

Segundo a Vale, as fortes chuvas que caem no Maranhão nesta segunda causaram deslizamento de terra junto à ferrovia nas proximidades do município de Bom Jesus das Selvas.

Os passageiros podem remarcar ou pedir o reembolso das passagens através do Alô Ferrovias (0800 285 7000).

Temporal causa atraso na distribuição de vacinas para os municípios maranhenses

Por Luís Pablo Política
 

As fortes chuvas registradas na manhã desta segunda-feira (15) na Ilha de São Luís atrapalharam a entrega das novas doses da vacina CoronaVac aos municípios do interior do Estado.

O Governo do Estado e a Secretaria de Estado da Saúde, responsável pelas entregas, ainda não confirmou uma nova data para a distribuição, feita em aviões.

A logística programada para começar nesta segunda, previa um esforço de três dias para atingir todos os 217 municípios do Estado

Vacinação

Segundo dados da SES, até sábado (13) o Maranhão havia aplicado 98,55% das 98 mil doses da vacina Astrazeneca/Oxford/Fiocruz. Já da vacina Coronavac/Butantan, 142.908 pessoas receberam a primeira dose e 76.399 a segunda dose, do total de 290.471 doses recebidas.

Grupo Dasa compra o Hospital São Domingos por R$ 2 bilhões

Por Luís Pablo Saúde
 
Hospital São Domingos, em São Luís-MA

Hospital São Domingos, em São Luís-MA

A Dasa (um dos maiores grupos de hospitais e a maior rede de medicina diagnóstica da América Latina) acaba de comprar o Hospital São Domingos, em São Luís-MA.

Segundo o Brazil Journal, o hospital foi vendido por cerca de R$ 2 bilhões. O acordo foi de pagar R$ 400 milhões em dinheiro e o saldo em 12,4 milhões de ações.

Como a ação da Dasa tem uma precificação imperfeita dada sua baixa liquidez, calcular o valor da transação exige uma inferência.

Assumindo que a ação da Dasa negocie no mesmo múltiplo que a Rede D’Or obteve em seu IPO — 21x EV/EBITDA — a parte em ações que está sendo oferecida pelo São Domingos seria avaliada em mais de R$ 1,6 bilhão.

O hospital tem 380 leitos e uma expansão — com o prédio já pronto — que elevará o total para 500. Ainda de acordo com o Brazil Journal, o São Domingos tem um EBITDA estimada de R$ 130-140 milhões para 2021.

A família fundadora do São Domingos continuará gerenciando o hospital, apoiando a expansão da Dasa no Norte e Nordeste.

A Rede D’Or já é dona do outro grande hospital de São Luís, o UDI, com 250 leitos. As principais operadoras do mercado são Amil, Sul América e Bradesco.

A aquisição — que aumenta para 14 o número de hospitais da Dasa e faz a companhia atingir 3.200 leitos, considerando-se a expansão — vem no momento em que a Dasa está prestes a lançar uma oferta de ações para levantar R$ 5 bilhões.

A XP assessorou os vendedores. A Dasa não trabalhou com bancos. A transação está sujeita à aprovação do CADE.

ALÔ FLÁVIO DINO E EDUARDO BRAIDE? Garçons também precisam de auxílio do Governo ou da Prefeitura de São Luís

Por Luís Pablo Política
 
Governador Flávio Dino e o prefeito Eduardo Braide precisam ajudar os garçons

Governador Flávio Dino e o prefeito Eduardo Braide precisam ajudar os garçons

São milhares que garçons trabalham todas às noites para garantir o sustento da família no Estado do Maranhão.

A maioria não tem vínculo empregatício e ganha apenas a comissão em cada conta de cliente. Alguns chegam até sofrer humilhações, mas estão sempre atendendo de forma educada.

Desde que surgiu a pandemia no Estado, a categoria dos garçons – assim como a de músicos e artistas – passaram ser as maiores vítimas do período temporário de fechamento de bares e restaurantes.

Com adoção das últimas medidas restritivas, o Governo do Estado encontrou um paleativo para amenizar a situação dos músicos e donos de bares, criando auxílios que variam de R$ 600 até R$ 1.500,00. E os garçons? Coitados, ficaram esquecidos.

É preciso que o Governo e a Prefeitura de São Luís se sensibilizem com os garçons que têm famílias, despesas de aluguel, luz, água e alimentação em seus lares. Então não custa nada criar também um auxílio para a categoria.

Após testar positivo para Covid-19, Marquinhos Regadas recebe alta em SP

Por Luís Pablo Saúde
 
Empresário Marquinhos Regadas

Empresário Marquinhos Regadas

O empresário Marquinhos Regadas recebeu alta ontem, dia 12, do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

Marquinhos passou menos de uma semana internado depois de testar positivo para a Covid-19.

O médico orientou o empresário a ir para a capital paulista após apresentar febre e um leve comprometimento nos pulmões. Ele foi de jatinho particular porque seu estado de saúde não inspirava cuidados.

No Sírio Libanês, Marquinhos Regadas ficou em um apartamento, sem precisar ser internado em UTI. Agora o empresário passa bem e encontra-se em um hotel em São Paulo.