Sarney salva mais uma vez Renan…

Por Luís Pablo Brasil
 

Renan e Sarney: uma relação antiga de interesses

Renan e Sarney: uma relação antiga de interesses

O ex-presidente José Sarney (PMDB), mesmo sem mandato, ainda continua atuando fortemente nos bastidores como ‘bombeiro’ do Congresso Nacional.

Além de conselheiro, Sarney se tornou o salvador do senador Renan Calheiros (PMDB), que conseguiu ontem, dia 7, se manter na presidência do Senado.

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou pela permanência de Renan. E tudo foi articulado e negociado nos bastidores por Sarney e os demais caciques do PMDB nacional, que se reuniram na casa de Calheiros.

Não é a primeira vez que o ex-presidente livra seu amigo de partido. Em 2007, quando Renan Calheiros – então presidente do Senado – se envolveu num episódio mais indecoroso daquele ano, com amante pelada na capa da Playboy, foi Sarney quem livrou ele do processo de cassação, do qual foi absolvido em 12 de setembro daquele ano.

Na época, foi descoberto que Calheiros teve uma filha numa relação extraconjugal com a jornalista Mônica Veloso, pivô do escândalo que o levou a enfrentar o processo de cassação que, de acordo com acusações, a amante recebia a pensão alimentícia das mãos de um funcionário da empreiteira Mendes Júnior.

Em troca, quase dois anos depois, no dia 2 de fevereiro de 2009, Renan Calheiro posou de vitorioso como articulador-mor da volta de José Sarney à presidência da Casa.

Vereador eleito é executado horas depois de ser diplomado no interior do MA

Por Luís Pablo Crime
 

G1MA

O vereador Cesar Augusto Miranda (PR) foi executado em uma farmácia, na noite de quarta-feira (7), no município de Godofredo Viana, a 860 quilômetros de São Luís. Ele foi o quinto mais votado, entre os eleitos no município em 2016, com 265 votos.

Segundo a polícia, o parlamentar, que tomaria posse em 2017, foi morto com três tiros, dentro da própria farmácia que o tornou conhecido na cidade. Ainda não se sabe o que motivou o crime ou quem participou do assassinato.

‘Cesar da Farmácia’ foi diplomado na manhã desta quarta-feira pela juíza Lewman de Moura Silva, da 64ª Zona Eleitoral, durante cerimônia realizada no Salão Paroquial do município.

Cesar Augusto pertencia ao grupo político de Júnior Matos (PR) – filho da ex-prefeita Conceição Matos – que foi prefeito derrotado nas eleições de outubro por apenas 69 votos em Godofredo.

Outros casos

O vereador Esmilton Pereira dos Santos, de 45 anos, foi assassinado com 15 tiros ao chegar em casa, na noite de 23 de agosto, na cidade de Governador Nunes Freire (MA), a 180 km da capital maranhense, São Luís. Esmilton Santos era trabalhador rural, segundo informou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e, estava em seu quarto mandato como vereador do município e era candidato a reeleição pelo PRB.

Veja a documentação sem informação que Noleto enviou à Assembleia

Por Luís Pablo Política
 
Deputado Edilázio Júnior e o secretário Clayton Noleto

Deputado Edilázio Júnior e o secretário Clayton Noleto

Após toda polêmica envolvendo o pedido de processo por crime de responsabilidade contra o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, por ele não ter encaminhado informações acerca dos municípios beneficiados com o “Programa Mais Asfalto” e o cronograma dos mesmos para o deputado Edilázio Júnior, os documentos foram entregues, mas sem todas as informações solicitadas.

Os documentos apresentam apenas uma parte do que pede o requerimento do deputado e pouco contribuem para analisar como foi realizado o Programa, que, para Edilázio, foi usado de forma eleitoreira pelo Executivo nas eleições de 2016.

Foram enviadas somente a lista de todos os municípios beneficiados e especificado os que tiveram obras concluídss e as que estão em andamento.

Nenhuma data de realização, período de término ou começo e valores destinados às obras do Programa foram encaminhados ao parlamentar, que solicitou, além da lista das cidades, também o cronograma de obras.

Confira abaixo as informações enviadas por Noleto:

Líder do governo considera crime de responsabilidade como “falha cometida”

Por Luís Pablo Política
 
Deputado Rogério Cafeteira (PSB), líder do governo

Deputado Rogério Cafeteira (PSB), líder do governo

Continua rendendo bastante na Assembleia Legislativa do Maranhão, a convocação e abertura de processo contra o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto, que foi barrada pela maioria dos deputados. (saiba mais aqui)

O líder do governo, deputado Rogério Cafeteira, ocupou ontem a tribuna da Casa para afirmar que a convocação e abertura de processo contra Noleto, seria uma medida desproporcional à suposta falha cometida por ele.

“Nesse caso específico eu gostaria que encaminhasse pela negativa do requerimento, de abertura de procedimentos contra o secretário, por ter convicção que é uma medida desproporcional para a falha cometida”, disse o deputado.

Cafeteira considerou que o fato de não prestar informações solicitadas, que são garantidas por lei, não pode ser crime de responsabilidade, mas somente uma “falha cometida” pelo secretário.

Maioria do STF decide manter Renan na presidência do Senado

Por Luís Pablo Política
 

Renan Calheiros

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta quarta-feira (07), por 6 votos a 3 rejeitar o afastamento Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado.

Com isso, Renan segue no comando da Casa, mas fica proibido de assumir a presidência da República em caso de ausência do mesmo.

Votaram contra o afastamento, os ministros Celso de Mello, Teori Zavascki, Dias Toffoli, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski e a presidente do STF, a Cármen Lúcia. Além do relator do processo, Marco Aurélio Mello, votaram a favor, os ministros Edson Fachin e Rosa Weber.

Renan acompanha sessão do gabinete da presidência do Senado

Por Luís Pablo Política
 

G1

Presidente Renan Calheiros

Presidente Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) chegou no início da tarde desta quarta-feira ao gabinete da Presidência do Senado para acompanhar a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode afastá-lo do comando da Casa (veja no vídeo acima o momento da chegada do senador ao gabinete).

O plenário do Supremo começou a analisar por volta das 14h15 desta quarta a decisão provisória do ministro Marco Aurélio que afastou Renan da Presidência do Senado.

Nesta terça, Renan se recusou a a assinar notificação da ordem judicial do ministro Marco Aurélio Mello, que, em decisão liminar (provisória), o afastou da presidência do Senado. Depois disso, em reunião, a Mesa Diretora do Senado, decidiu descumprir a determinação do ministro.

O afastamento do peemedebista pode ser revertido se os ministros acolherem um recurso apresentado pelo Senado, segundo o qual a decisão de Marco Aurélio causará “enormes prejuízos ao já combalido equilíbrio institucional e político da República”.

Deputado repudia agressão contra prefeita na procuradoria do estado

Por Luís Pablo Política
 

Deputado César Pires

Deputado César Pires

O deputado estadual César Pires (PEN) denunciou, na manhã desta terça-feira (6), que a prefeita do município de São João do Sóter, Luiza Rocha, foi agredida moralmente na Procuradoria Geral do Estado.

Pires informou que fez questão de acompanhar a prefeita até uma delegacia de polícia, em São Luís, para registrar um Boletim de Ocorrência contra uma assessora especial da Procuradoria do Estado, identificada como Lorena Duailibe.

“Acompanhada de uma assessora e acompanhada de um assessor do meu gabinete, a prefeita foi agredida moralmente pela senhora Lorena e também pelo senhor procurador. O que ela foi fazer lá? Pedir, na verdade, uma documentação da qual ela tem direito e tramita dentro daquela Procuradoria”, explicou César Pires.

O parlamentar foi enfático ao repudiar o tratamento dado à prefeita Luiza Rocha pela assessora Lorena Duailibe. “Fica aqui um alerta ao Gabinete Civil, que ligue para lá e tome as providências necessárias. Acredito até que o governador não tenha conhecimento dessas pequenas falanges que exaltam os comportamentos beligerantes, como a gente encontra aí. Verdadeiras contumélias foram professadas por aquela senhora em relação à prefeita”, afirmou.

César Pires advertiu que a Assembleia Legislativa precisa ficar vigilante, sob pena de ver reduzido o seu papel como uma instituição legítima de defesa da sociedade.

“Eu já vejo deputados reclamarem de secretários que não atendem, ou quando atendem postergam ao máximo que podem em relação ao atendimento, não atendem as situações que estão acontecendo, é preciso que a gente diga isso, sim, e que chegue ao Governador, para o Governador poder tomar uma atitude em relação a isso, eu não creio que isso tenha conhecimento dele, ou seja, uma recomendação, porque não é só para deputado de oposição, até mesmo as bases de governo e os cargos maiores estão tendo também esse processo de ressentimento e não pode vir aqui dizer o contrário, porque é isso que a gente escuta”, ressaltou Pires.

Governo compra o exercício do mandato de deputados com “emenda natalina”

Por Luís Pablo Política
 

Plenário da Assembleia do Maranhão

Plenário da Assembleia do Maranhão

A maioria dos parlamentares da Assembleia Legislativa do Maranhão não está exercendo seu mandato de fiscalizar o Poder Executivo.

Vários deputados estão fazendo vista grossa diante dos desmandos do Governo do Estado. Prova disso foi o que ocorreu ontem, dia 6.

Os parlamentares revogaram a decisão da Mesa Diretora que, na segunda-feira, dia 5, havia deferido requerimento de autoria do deputado estadual Edilázio Júnior (PV) pedindo a abertura de procedimento, por crime de responsabilidade, contra o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto.

A abertura de processo contra Noleto foi barrada após a ida do chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, no Poder Legislativo. Tavares garantiu a liberação de R$ 500 mil de emenda parlamentar, em troca de blindagem ao secretário de governo. E o martelo foi batido.

Deputados comemoram o ‘acordão’ e o governo mais uma vez saiu em vantagem, ao comprar o exercício do mandato de deputados com “emenda natalina”.

O clima na Casa é de festa, mesmo que de forma descarada.