Prefeitura de Balsas contrata empresa do Ceará por R$ 10 milhões para coletar lixo

Por Luís Pablo Política
 

Prefeito de Balsas, Dr. Erick

A Prefeitura Municipal de Balsas, administrada pelo médico Erik Augusto Costa e Silva, o Dr. Erik (PDT), contratou, por exatos R$ 10.262.069,69 (dez milhões, duzentos e sessenta e dois mil, sessenta e nove reais e sessenta e nove centavos), uma empresa Cearense para realizar, entre outros serviços, coleta de lixo no município.

De acordo com o Diário Oficial do Estado do dia 12 de maio, a cifra milionária será embolsada pela empresa Gold Serviços e Construções, localizada na cidade de Fortaleza-CE e criada em julho de 2009.

O contrato, que é válido por 12 meses, foi assinado no dia 30 de abril pelo secretário Municipal de Finanças, Gestão Tributária e Planejamento, Luiz Pedro Silva Santos, e o representante da empresa, Antônio Luiz Rodrigues Mano Junior.

Veja abaixo detalhes do recente contrato e sobre a empresa vencedora:

OS REPASSES CONTINUAM! Flávio Dino repassou na semana passada mais de meio milhão para fundação ligada a Tema

Por Luís Pablo Política
 
Cleomar Tema e Flávio Dino no Palácio dos Leões

Cleomar Tema e Flávio Dino no Palácio dos Leões

O governo do Estado não suspendeu os repasses para Fundação de Saúde e Assistência de Tuntum – FAST, que é controlada pelo presidente da FAMEM (Federação dos Municípios do Estado do Maranhão), Cleomar Tema.

Só na semana passada, o governador Flávio Dino (PCdoB), através da Secretaria de Saúde, determinou o repasse de mais de meio milhão de reais para fundação. Foram R$ 590.884,80 que o governo repassou na última quinta-feira, dia 11.

O Blog do Luís Pablo já denunciou essa fundação – mostrando com provas uma especie de rede criminosa envolvendo o governador e o prefeito de Tuntum (reveja aqui e aqui).

A denúncia até repercutiu na Assembleia Legislativa do Maranhão. Apesar disso, o governador Flávio Dino continua fazendo os repasses para beneficiar o aliado político do governo, com dinheiro público dos cofres do Estado.

Abaixo imagem do Portal da Transparência:

Caso Mariana: testemunha de Lucas Porto diz não ver lógica em convocação

Por Luís Pablo Polícia
 

Na tarde desta quinta-feira (18), uma das testemunhas convocadas pela defesa de Lucas Porto, acusado de assassinar sua cunhada Mariana Costa em novembro do ano passado (relembre aqui), rechaçou sua convocação para a audiência.

Flávia Raquel, que trabalhou durante 4 anos e 8 meses como babá das filhas de Lucas, ao ser questionada sobre o crime disse que não via lógica em estar ali.

Ao júri, a testemunha respondeu perguntas sobre o comportamento do acusado, o qual caracterizou como amoroso e tranquilo, e ainda se o mesmo, em algum momento foi assediada por ele.

A audiência, que iniciou na manhã desta quinta-feira (18), por pouco não foi adiada. Ocorre que a defesa de Lucas tentou transferir a data alegando que seu cliente estava em estado de pânico por ter tido o cabelo raspado.

Em gravação com Temer, dono da JBS diz que está “segurando” juízes e recebendo informação da força-tarefa da Lava Jato

Por Luís Pablo Política
 
Presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista

Presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista

A gravação da conversa entre o presidente Michel Temer e o dono frigorífico JBS, Joesley Batista, é muito mais ‘bombástica’ do que se possa imaginar.

A conversa de mais de meio hora entre, revela um suposto escândalo envolvendo juízes e o um integrante da força-tarefa da Lava Jato.

O dono frigorífico diz que está “segurando” juízes e recebendo informação de dentro da força-tarefa de procuradores.

“Eu estou lá me defendendo. Eu estou de bem com Eduardo. Eu estou segurança as pontas. E eu dei conta de um lado do juiz, dá uma segurada, outro lado o juiz substituto, estou segurando os dois. Eu conseguir um (incompreensível) dentro da força-tarefa que tá me dando informação”, diz o empresário Joesley Batista (no trecho de 11min58seg da gravação).

Áudio-bomba: ouça as gravações feitas pelo dono da JBS com Michel Temer

Por Luís Pablo Política
 

Temer ao telefone

Temer ao telefone

Foi liberado pelo Supremo Tribunal Federal os áudios em que o presidente Michel Temer foi gravado pelo dono do frigorífico JBS, Joesley Batista.

A gravação, que tem durante de 38min, foi encaminhada nesta quinta, dia 18, para o Palácio do Planalto, que havia solicitado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Temer é acusado de incentivar o pagamento de R$ 500 mil para comprar silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.

Clique e ouça:

Advogado da JBS é preso pela Polícia Federal em São Luís

Por Luís Pablo Política
 

Advogado Willer Tomaz

Advogado Willer Tomaz

O advogado do frigorífico JBS, Willer Tomaz, foi preso na manhã desta quinta-feira (18) em um hotel no bairro Ponta do Farol, em São Luís.

Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ele teve a prisão preventiva decretada em virtude da delação de Joesley Batista, um dos sócios da JBS, que foi divulgada na quarta-feira (17) pelo jornal “O Globo”.

Segundo a comissão de defesa de prerrogativas da OAB no Maranhão (OAB-MA), que acompanha o caso Willer, que é proprietário de um escritório de advocacia em Brasília, afirmou que defende a JBS desde janeiro deste ano.

O advogado Willer Tomaz foi encaminhado para a sede da Polícia Federal (PF), no bairro Cohama, na capital, de onde será levado para Brasília ainda nesta tarde.

A delação

Os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação “Lava Jato”. A informação é do colunista do jornal “O Globo” Lauro Jardim. Ainda não há informação sobre se a delação foi homologada.

Segundo o jornal, o empresário Joesley entregou uma gravação feita em 7 de março deste ano em que Temer indica o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver assuntos da J&F, uma holding que controla o frigorífico JBS no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Em outra gravação, também de março, o empresário diz a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada para que permanecessem calados na prisão. Diante dessa informação, Temer diz, na gravação: “tem que manter isso, viu?”.

Na delação de Joesley, o senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, é gravado pedindo ao empresário R$ 2 milhões. No áudio, com duração de cerca de 30 minutos, o presidente nacional do PSDB justifica o pedido dizendo que precisava da quantia para pagar sua defesa na Lava Jato.

“Não renunciarei”, diz Michel Temer em pronunciamento

Por Luís Pablo Política
 

O presidente Michel Temer não renunciará. Em pronunciamento feito agora há pouco, Temer descartou a possibilidade de deixar o cargo.

“Não renunciarei. Não renunciarei. Sei o que fiz e sei a correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida”, declarou.

Temer disse, ainda, que a conversa gravada “clandestinamente” dentro da Presidência da República trouxe de volta o “fantasma da crise política”

Confira abaixo o pronunciamento do presidente:

Sarney é chamado ao Palácio do Planalto para aconselhar Michel Temer

Por Luís Pablo Política
 

José Sarney e Michel Temer

O ex-presidente e ex-senador José Sarney (PMDB) foi chamado às pressas ao Palácio do Planato para aconselhar o presidente Micael Temer. A informação é da Globo News.

A movimentação é grande no Palácio. Além de Sarney, também está na reunião com Temer o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia.

Eles estão discutindo como o governo deverá reagir à grave denúncia sobre a gravação de Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Caberá ao ex-presidente Sarney a difícil missão de solucionar o grande estrago que abalou a república.

Bomba! Supremo autoriza abertura de inquérito para investigar Temer

Por Luís Pablo Brasil
 
Temer na presidência

Temer na presidência

(Com informações do G1)

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer. O pedido de investigação foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Com a decisão de Fachin, Temer passa formalmente à condição de investigado na Operação Lava Jato.

O pedido de abertura de inquérito foi feito após um dos donos do grupo JBS, Joesley Batista, dizer em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravou, em março deste ano, o presidente dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A informação foi divulgada pelo jornal “O Globo”.

A delação de Joesley e de seu irmão, Wesley Batista, foi homologada, segundo o Supremo.

O presidente poderá ser investigado pela PGR porque os supostos crimes imputados a ele foram cometidos durante o mandato de presidente.